sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Os preparativos do Natal no Relicário de Luz


No Relicário de Luz o transcurso do tempo é vivenciado pelas épocas do ano, as quatro estações e as suas festas cristãs. Poderíamos falar em outros ciclos maiores, como os de sete em sete anos, ou o de ciclos menores como os dias. Há muitos ciclos que acontecem no universo do macrocosmo e do microcosmo que é o ser humano. Todos trazem o ritmo da repetição que nos traz segurança num movimento que sempre retorna e ao mesmo tempo, de esperança porque quando volta, algo se modifica, num eterno vir a ser.

Costumo dizer que a vivência das épocas é muito mais para nós adultos, do que propriamente para a criança. A criança vive intimamente ligada aos mistérios no mundo, num ato pleno de religiosidade, de religare, de ligar-se, o entusiasmo pelo mundo é vivo, de extrema confiança e entrega. Já nós adultos duvidamos, nos afastamos, criamos defesas, pensamos muito sobre antes de ir. Nosso olhar para com o mundo e com o outro muitas vezes está ressequido, como um galho seco de árvore. E a criança vai lá e coloca água, pouco a pouco, para que o nosso olhar possa novamente ser encantado. E aí está justamente a força da vivência das épocas do ano: entusiasmar-se pelo universo, enamorar-se como os poetas.

O verão que se aproxima e nos traz a vivência do Natal, de algo que está para nascer e de tudo o que se faz necessário para que seja gestado, parido e cuidado. O que em nós está pedindo para nascer novamente? O que se anuncia? Como acolho? Sinto-me protegida/o? O que os pastores, homens simples da terra, estes que habitam nosso ser, escutam? As vozes do céu participam deste nascimento? Os sábios reis já sabem disso tudo há muito tempo pela leitura dos céus? E você confia que o que há de precioso em ti e está prestes a nascer, será presenteado?

São com estas imagens que criamos uma roda de natal entremeando músicas, gestos e histórias. Que a cada dia acrescentamos um elemento em nosso cantinho de época, com as crianças entoando músicas após uma história ser contada. Este mesmo cantinho que muitas vezes é chamado pelas crianças de altar, o lugar sagrado, o nosso relicário. Que tudo isso é feito com reverência a espera do menino que vai nascer. Que no dia 05 de dezembro contamos a história de São Nicolau que viajou do oriente para o ocidente para levar nozes, maças e bolachas de mel para as famílias que estavam passando fome. E que penduramos uma bota na janela e as crianças fazem desenhos para presentear São Nicolau que há de passar por ali. Que no outro dia exclamam surpresas e contentes em ver que ele passou e deixou maças, bolachas e nozes. Que algumas já chegam contando que em sua casa ele havia passado e outras pedem para levar a bota porque em sua casa ele ainda não passou. Este ano, pela primeira vez no Relicário, as crianças mais velhas do jardim e as do primeiro ano vão ouvir, durante trinta dias, a história do livro “O burrinho de Maria”. E a cada dia vão acompanhar os animais que participaram do nascimento do menino Jesus. Mas o que aconteceu com a narrativa desta história nós vamos contar a próxima vez que passarmos por aqui.

E todo ano a época se repete. E o encantamento das crianças é natural. Elas aguardam tudo novamente, do mesmo jeito. Isso traz segurança, confiança no futuro. E aos poucos, nós adultos vamos encontrando a nossa essência, nos encantando, aguardando o menino que quer nasceu na manjedoura simples, no recôndito de nosso ser.

Gisele Becker

Fundadora, Coordenadora Pedagógica e Professora do Relicário de Luz

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Portas Abertas Educação Infantil





No dia 29 de novembro, às 18 horas, quinta-feira, o Relicário abrirá suas portas com uma vivência para os pais e mães.

Haverá uma roda de conversa conduzida pela professora Gisele Becker sobre a infância (de um até seis anos) e as práticas diárias do Relicário.

Será um encontro para trocas, perguntas, dúvidas, anseios e receios.
Venha conhecer o espaço e a proposta de perto.
Inscreva-se gratuitamente.

99990-7712
contato@relicariodeluz.com

domingo, 4 de novembro de 2018

Portas Abertas Ensino Fundamental


No dia 22 de novembro, às 18h30, quinta-feira, o Relicário abrirá suas portas com uma vivência para os pais e mães.
O professor Alberto Ferreira promoverá momentos de aprendizagem que acontecem no dia-a-dia do ensino fundamental, especialmente para crianças de seis até nove anos.
Será um encontro para trocas, perguntas, dúvidas, anseios e receios. 

Venha conhecer o espaço e a proposta de perto.
Inscreva-se gratuitamente.
99990-7712

sábado, 3 de novembro de 2018

Matrículas Abertas 2019



Educacionalmente, exercemos influência nos primeiros anos de vida por aquilo que somos e pela confiança e moralidade que adquirimos e manifestamos mediante nossos atos [...] Quem lida com crianças pequenas deve esforçar-se, com todo o interesse e com sentimentos advindos do coração, com pleno respeito e vontade ética, em ajudar esse pequeno ser humano em sua caminhada terrestre”. 
Bernardus Lievegoed.

Venha conhecer o Relicário de Luz. Agende uma visita.
Estamos no Vila Nova, próximo à Expoville.
Acolhemos as crianças de 1 até 9 anos.

3464-1074
99990-7712
relicariodeluz.com
contato@relicariodeluz.com
facebook/relicariodeluz
instagram/escolarelicariodeluz

Da junção de mãos pequeninas e restos de tecidos



"O brinquedo livre tem demonstrado que a imaginação invade todos os campos da matéria. A criança interessa-se por tudo o que está à sua volta e, aos poucos, vaiespecificando seus materiais. Quando tem acesso a um espectro amplo de matérias, ela escolhe algumas para brincar sozinha ou em grupo, rege-se por um anseio alimentar, por aquilo que melhor nutrirá sua vida anímica". 
Do livro Brinquedos do Chão, de Gandhi Piorski.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Ser criança num quintal do tamanho do mundo!

Uma jornada de educação para pais, mães, professores, avós, tios, padrinhos. Para todos aqueles que foram convidados a adentrar este quintal chamado infância.



Li certa feita que quando uma pessoa faz algo com todo o seu ser, dela emana, ressoa uma força que é capaz de encantar qualquer ser humano. E é aí que se dá um ato de educação.

Ser criança num quintal do tamanho do mundo. Este evento nasceu da vontade de reunir artistas-educadores num só quintal. Artistas porque são creadores constantes de seus afazeres e há beleza no que fazem. Educadores porque há entrega e amor em suas práticas diárias.

E quem são eles?

domingo, 23 de setembro de 2018

Éramos todos e éramos um só.

Fomos celebrar a primavera. O sol também foi, as flores estavam lá.

Fomos chegando, um, mais um, mais um. As crianças já sabiam, a primavera estava ali. Elas corriam e brincavam. Davam as mãos, davam abraços, preenchiam o espaço se misturando com a natureza.

E nós adultos éramos aos poucos lembrados da simplicidade de estar, de sentir. Uns chegaram sem nem saber por que estavam ali. O cunhado, a prima, o irmão convidara. Estavam ali, pra observar, pra saber o que era então de fato esse Relicário.

Conversamos com um sobre o calor, com outro sobre o sabor da comida, com mais outro sobre as belezas que cada pai estava expondo.


quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Aldeia da Educação


Quem nos acompanha sabe da nossa caminhada pelo universo da educação. Neste trajeto nasceu um lugar para que as infâncias pudessem ser plenamente vividas, num quintal do tamanho do mundo: o Relicário de Luz.

E agora mais um sonho se torna realidade: um evento preparado para que as famílias e os educadores possam juntos olhar para a criança, as infâncias e os espaços que as acolhem. Uma jornada de quatro dias, com palestras, teatro e vivências com educadores-artistas, nesta arte que é a educação.


segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Ser criança num quintal do tamanho do mundo.


Um ciclo de palestras e vivências sobre a arte de educar que Alberto Ferreira, meu companheiro de jornada, e eu, Gisele Becker, temos a honra de promover: "Ser criança num quintal do tamanho do mundo".
E estamos de mãos dadas com muita gente para realizar este encontro.


quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Festival da Primavera 2018. Confira a Programação.



Ser criança num quintal do tamanho do mundo


03/10 (quarta-feira), 19h30. Dificuldades em educar? Como aguçar seu olhar para o que a criança revela. Com Gisele Becker e Alberto Ferreira.

04/10 (quinta-feira), 19h30. Que outra escola é possível. Palestra com o renomado educador José Pacheco.

05/10 (sexta-feira), 19h30. Gaiola: pássaros da alma. Espetáculo teatral com Sabrina Lermen e Letícia Souza. Ao final haverá uma roda de conversa sobre educação.
*A peça de teatro será no Studio Sabrina Lermen.

06/10 (sábado), das 9h até 14h. "É preciso uma aldeia inteira para se educar uma criança". Aldeia pela Educação. Vivências em família. A entrada é gratuita.

domingo, 2 de setembro de 2018

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Oficina de Contação de Histórias



ATELIÊ DE HISTÓRIAS

Oficina de formação de contadores de histórias (12h)

Intercalando teoria e prática, ‘Ateliê de Histórias’ é uma oficina de formação de contadores de histórias, onde os participantes passam por uma série de dinâmicas em torno das práticas narrativas, do diálogo entre narração e animação de formas e criação de suportes plásticos (tapetes, painéis, etc.) para contar histórias.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Imaginação requer....

“Imaginação requer espaço, folga, lugares de contemplação, devaneio, solidão, convívio, lugares desafiadores. Todas as coisas que tiram esse direito das crianças são excessos”.
Gandhy Piorski

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Menina da Lanterna

Dia de frio e sol. É sexta-feira. Último dia de encontros no Relicário antes das férias.
As crianças do primeiro ano estão a escolher desenhos, cadernos e outros "trabalhos" que realizaram durante o semestre juntamente com o professor, para dispor de maneira bela para seus pais e mães apreciarem. Saem a recolher folhas, pedras e flores para dar vida à exposição.


E por alguns minutos as crianças param o que estão fazendo para oferecer colo e carinho para um amigo que se machucou. O cuidado não tem hora, nem tempo certo. E sempre tem espaço pra ele.

Que festança! É dia de São João!


O outono já se despede
Uma festa calorosa promete
O frio vai se aproximando
E as crianças já vão falando:
"São João está vindo aí".

E São João vem se aprochegando devagarzinho.
Um dia com cantiga de manjericão.
Outro dia dançando boi bumbá.
Tem dia de bolo de milho e fubá.

quarta-feira, 11 de julho de 2018

A liberdade de ser quem somos!

Manhã fria. Sala calorosa. Sábado. 09 de junho.
Pais, mães e professores reunidos. No Relicário de Luz.
A história do menino João, o batista.

A infância. A criança. Que confia. Que imita. Que admira o trabalho do adulto.
Adentramos a nossa própria biografia. A nossa infância. Encontramos o gesto, a dedicação, a intensidade. A admiração. O ser humano. A vida. A entrega. A emoção.


Bora lá caminhar.








Frio. Roupa, muita roupa.
E mãos geladas.
E como se esquentar?
Com um sol radiante deste!?
Bora lá caminhar.








sábado, 16 de junho de 2018

O Vovô Vilmar. Meu pai.

"Papai, quem fez a minha cama?" - pergunta o pequeno Henrique, de três anos.
"Foi o Vovô Vilmar, filho".
"Então, quando eu ver o Vovô Vilmar vou agradecer e dizer que eu o amo".

E o pequeno Henrique, ao chegar ao Relicário, o jardim de infância em que frequenta, encontrou o Vovô Vilmar. Correu para abraçá-lo e disse que o amava e que queria agradecer. E o vovô Vilmar surpreso, emocionado, pergunta o motivo. E ele diz: "porque você fez a minha cama".

O trabalho humano. O vínculo estabelecido. A dedicação. O amor. Ali contidos naquela cama. E em tantos outros objetos em que as mãos do vovô Vilmar constrói e conserta. Algumas vezes na frente das crianças.

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Os brinquedos do chão


"Os brinquedos do chão fincam a criança no mundo e também a acordam para firmar o mundo em si. Mas isso não decorre de um acordo pacífico com o real; na realidade, existe uma luta. A criança, esse laborioso ser combatente, trabalha para animizar, encantar, criar uma aura mágica no mundo, elaborando imagens de intimidade por meio da imaginação da terra. Para a criança, o elemento terra abre a dimensão sacral das grandes imagens de útero, do oculto, da solidão e da morte como eternidade".
Gandhy Piorski

domingo, 27 de maio de 2018

A voz soou e embalou

Noite fria.
Mulheres gerando vida em seus ventres.
As palavras vieram em contos, memórias e no canto.
O canto. Ah o canto!
Entoado baixinho.... O outro à plenos pulmões....
E aquele que fez todas nós nos levantarmos e cantarmos ao som das batidas de nossos pés no chão de madeira.


domingo, 13 de maio de 2018

Mãe. Mulher.

Noite de Mães.
Noite de Mulheres.
Assim foi na última quinta-feira aqui no Relicário de Luz. Nosso grupo de estudo de pais e professores transformou-se num momento de encontro de mulheres, mulheres mães, ou simplesmente mulheres.
Encontro. Conversa. Risos. Música. Lágrimas.
E o pedido: quero colo.

terça-feira, 1 de maio de 2018

Um coelho chamado Jonjoca

Morte, renascer, transformar
Lagarta, casulo, borboleta
Esperar, preparar, surpresa
Um coelho chamado Jonjoca

É Páscoa. Passagem. Época de morrer para o novo nascer.

Deixar de ser a menina sempre limpinha e aparentemente frágil para ser criança de calcinha, se esbaldar no barro e brincar de "bagunceira de molhar", como diz a pequena Camila, de três anos.

Subir uma montanha muito alta e se transformar num menino valente, o belo Vicente, do tamanho de três anos.

Deixar o casulo por um tempo e soltar-se como uma borboleta. "Posso passear lá atras e brincar com as meninas"? É o que ouvimos a Sarah, de dois anos dizer ao ir brincar com as crianças do jardim. Mas pode aguardar, que logo, logo, para o casulo ela vai querer voltar.